domingo, 17 de janeiro de 2010

Livros que são gritos

Decidi inaugurar os posts de 2010, com referência aos livros que recebi no Natal. Afinal, valem a pena! Começo por referir "Gritos contra a Indiferença" de Fernando Nobre. Já havia lido muitos dos relatos de "Viagens contra a Indiferença" do mesmo autor, testemunhos de experiências deste homem, médico em missão da AMI, pelos mais diversos países do mundo, em situações de catástrofe natural e humana. É nesta linha que surgem também estes gritos de revolta e luta perante as injustiças deste mundo. Nas palavras do próprio autor - "Como não me inquietar quando vejo a paz global tão ameaçada e os Direitos Humanos tão espezinhados? Como não interpelar quando assisto à degradação contínua do nosso planeta Terra e ao seu esgotamento, provocado por uma ganância louca, sem freio nem nexo?". Neste início de 2010, este livro ganhou, infelizmente, ainda mais sentido.


O Natal trouxe-me ainda outro livro especial "A Ilha Debaixo do Mar" de Isabel Allende (sempre Isabel Allende, escritora que me toca de forma ímpar). É a história de Zarité, uma escrava que, mesmo nessa condição, consegue, pela bondade e pelo amor, atingir a tão desejada liberdade. Este é afinal também um grito, neste caso pela liberdade, não pelo ódio, mas pelo mundo e pela liberdade.

Há, de facto, livros que são gritos, livros que aspiram a um mundo melhor... e como a Humanidade precisa de esperança e lutar por um mundo melhor nos tempos que correm!

Recebi ainda um cheque-livro para comprar um ou dois livros, resta-me decidir quais.

Por agora, aqui ficam estas sugestões a que me vou dedicar de seguida. Bom Ano a todos! Espero que 2010 se torne bem mais auspicioso para este mundo do que está a ser este mês de Janeiro...


4 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Ainda bem que foi à Maggie e não a mim que ofereceram esses dois livros tão desinteressantes. Eu não teria resistido a manifestar o meu profundo desagrado junto dos doadores.
A obra humanitária do Dr. Fernando Nobre é bem maior e meritória do que as pieguices inúteis que escreve.
Quanto a Isabel Allende, e tirando o facto de se aproveitar do apelido Allende para vender livros, ignoro se tem alguma obra meritória, como a do Dr. Fernando Nobre.

flicka disse...

Não conhecia o livro "Gritos contra a indiferença", agora que gostava de o ler... Quanto ao livro da ISabel Allende, só é sobre uma escrava que conseguiu a liberdade, então é um livro a ler, pois tenho uma grande admiração por mulheres fortes e vencedoras.
:)*

Maggie disse...

Funes,

é bem verdade que tudo o que o Dr. Fernando Nobre possa escrever é pouco relativamente à obra que faz na prática, mas também é verdade que os testemunhos escritos (as "pieguices inúteis" que refere) fazem-nos reflectir (a mim e por exemplo aos meus alunos que, infelizmente, na sua maioria, não faziam ideia de quem seria o Dr. Fernando Nobre até lhes ler excertos dos livros dele). Só por isso, as "pieguices" são já muito úteis.
Quanto a Isabel Allende, é uma escritora, uma grande ficcionista, mas também tem um livro que talvez gostasse de ler (ou não) - "O Meu País Inventado". Fala do Chile, claro que na perspectiva dela. Pode continuar a considerar que ela não fez nada de meritório, mas para mim, que sou das Humanidades, a boa escrita é também uma obra meritória.

De qualquer forma, obrigada por ter passado por aqui. Gosto de passar pelo seu blog, mesmo quando não concordo consigo.

Mafalda Branco disse...

Querida Maggie,
que saudades de um post teu e que bom teres começado o ano logo com estas sugestões!
Não li nenhum dos dois, mas falo pelos autores. Agora estou a ler "O Monte dos Vendavais", ainda não tinha lido e estou a gostar muito. Vamos partilhando ideias.
Beijo grande e ainda bem que voltaste! Fazes falta na blogosfera!